JUSTIÇA NÃO DETERMINA ILEGALIDADE DA GREVE DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE PATOS

Após mais de 12 (doze) dias de greve no município de Patos, ao invés de tentar o diálogo com a categoria e o SINFEMP, a gestora entrou com pedido de ilegalidade da greve dos servidores sem que qualquer tipo de diálogo entre a prefeita, sindicato e servidores tenha havido durante tal prazo.

No dia de ontem (14) o SINFEMP ficou sabendo através de alguns meios de comunicação que havia sido declarado ilegal a greve e que os servidores deveriam voltar às atividades de forma imediata.

Na verdade o que aconteceu foi o deferimento parcial do pedido de antecipação de tutela onde determina o retorno das atividades pelos servidores, e não a decretação de ilegalidade da greve.

O assessor jurídico do SINFEMP, Dr. Damião Guimarães, informou que, “assim como toda e qualquer decisão judicial para ter validade, a parte deve ser comunicada através das vias legais”. Coisa que até o presente momento ainda não aconteceu, isto é, o SINFEMP ainda não foi notificado da referida decisão.

Já a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, afirmou que tão logo o sindicato venha a ser intimado da decisão judicial através dos meios legais, o SINFEMP convocará assembleia geral com todas as categorias que lutam pelos seus direitos e melhores condições de trabalho para deliberar sobre os próximos passos a serem seguidos.

Destarte, vem o SINFEMP informar que a greve continua de forma normal, isto é, com o contingente de 30% (trinta por cento) das atividades funcionando dentro das condições de trabalho disponibilizada pela gestão até que a notificação judicial aconteça.

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta