Prefeito de Condado aumenta salário de professores e negocia salários atrasados

O Prefeito Caio Paixão do Município de Condado, participou de uma assembleia geral convocada pelo SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, ocorrida na segunda-feira, dia 4 de março de 2013, na Escola Sebastião Alves de Lima, onde foi discutido o aumento salarial para os professores e a negociação dos meses atrasados de novembro, dezembro, além do 13º salário de 2012, deixados pelo ex-prefeito Eugênio Pacelli Lima a todos os servidores municipais.

No tocante ao aumento dos professores o prefeito repassou o percentual definido por lei, retroativo a 1º de janeiro de 2013. Já em relação aos salários atrasados a Prefeitura através de seu assessor jurídico Dr.Taciano Fontes, apresentou a proposta dos servidores contraírem um empréstimo junto ao Banco Bradesco, mas a Prefeitura se responsabilizando pelo pagamento integral, sem causar nenhum prejuízo aos mesmos, num prazo máximo de 20 meses. Para isso, será enviado Projeto de Lei para a Câmara Municipal, aprovar, com a participação dos funcionários, do sindicato e da gestão municipal. A proposta foi colocada em votação e aceita por todos os presentes. Caso não seja possível o empréstimo, outra proposta aprovada pela categoria foi parcelar os salários atrasados em 8 vezes para quem ganha acima do mínimo e quem ganha até o salário mínimo em 4 vezes.

O Prefeito colocou uma série de dificuldades encontradas no tocante ao parcelamento do INSS, cheques sem fundos, inadimplência junto ao governo federal, problemas relacionados ainda com o SAMU, dentre outros, mas assumiu o compromisso de pagar em dia todos os servidores municipais, apesar das dificuldades existentes.

O Diretor Jurídico do SINFEMP, Gilson Remigio, a melhor alternativa é o empréstimo que resolve de uma vez por todas os problemas dos salários atrasados, mas fez um apelo ao gestor atual para não contratar mais ninguém pois a prefeitura já dispõe de mais trezentos servidores, quadro suficiente para fazer todo o trabalho.

Caso não seja possível o empréstimo, os servidores voltam a se reunir e discutir o parcelamento dos atrasados.

Comente com o facebook

Comentários

Deixe um comentário