Servidores da Câmara de Patos exigem pagamento de 1/3 de férias de 2012

DSC04637Uma comissão composta por servidores da Câmara Municipal de Patos, esteve reunida no dia 12 de dezembro de 2013, com os dirigentes do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Carminha Soares e José Gonçalves.

Os servidores  vem sofrendo prejuízos, pois em 2011 não receberam aumento salarial, como também em 2013, além da mesa da Câmara não querer pagar um terço de férias, alegando falta de recursos.

O projeto alterando o plano de cargos, sem discutir com a categoria, foi aprovado, privilegiando alguns e prejudicando outros, pois  os que tinham gratificações de R$ 100,00 (cem reais), havia 8 anos,  ficaram de fora, foram retiradas.

As auxiliares de serviços ganham apenas o salário mínimo e no entanto, eram para receber hoje R$ 820,38 mas permanece tudo congelado.

Os servidores que trabalham no setor de atas não recebem insalubridade, apesar de trabalharem cinco horas transcrevendo atas, com aparelhos auditivos, sofrendo problemas auditivos e ergonômicos, já que as cadeiras não são adequadas para o trabalho. Esses servidores tem direito a insalubridade/periculosidade, mas no entanto não recebem.

As diversas conversas com a presidente da Câmara, a mesma afirmou que o Tribunal de Contas não permite reajuste, pois a folha já supera o índice prudencial, mas no entanto, o salário dos vereadores continua sendo de R$ 8.200,00 e dizem que no próximo ano irá retornar as assessorias, para reverter o prejuízo, pois recebiam R$ 10.050,00.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, a Câmara tem por obrigação de garantir a isonomia salarial para todos os servidores que exercem as mesmas funções e acabar com essas gratificações, mas de cunho pessoal do que de acordo com o plano de cargos, carreira e salários.

Já o vice-presidente do SINFEMP, José Gonçalves, não tem sentido a Câmara alegar que não tem dinheiro para pagar um terço de férias dos trabalhadores e nem conceder aumento salarial, se existem muitos comissionados na casa, ganhando salários superiores aos servidores do quadro efetivo, sem necessidade.

A categoria pretende fazer uma mobilização, paralisando as atividades no dia das sessões, demonstrando a insatisfação com o tratamento que é dispensado pela presidente e demais membros da mesa diretora.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe um comentário