SINFEMP solicita audiência com a Prefeita Francisca Mota para discutir situação da guarda municipal de Patos.

agentesA Presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Carminha Soares, solicitou audiência com a Prefeita Francisca Mota para discutir os problemas enfrentados pelos integrantes da Guarda Municipal de Patos, no tocante as condições salariais e de trabalho dos referidos servidores.

Hoje existem 9 guardas municipais que foram convocados em agosto de 2013, apesar do edital do concurso ter sido publicado em 2011, garantindo a época um salário de R$ 800,00 e mais uma gratificação de 25%, totalizando R$ 1.000,00 que vem congelado desde 2011, acumulando uma perda de 46,07% a todos os guardas municipais.

Em reunião realizada com a categoria, foram feitos os cálculos e esses trabalhadores deviam receber R$ 1.173,60 como salário base e mais uma gratificação de R$ 293,40. Sem essa correção, os guardas municipais perdem mensalmente R$ 467,00 que somando os 4 meses já acumula um prejuízo de R$ 1.868,00 para cada um.

No ofício encaminhado a Prefeita Francisca Mota, solicitando audiência o mais rápido possível, as propostas apresentadas foram as seguintes: salário de acordo com o edital, corrigido para R$ 1.173,00 a partir de dezembro de 2013, com mais a gratificação de 25%, sendo o salário base  corrigido de acordo com o percentual aplicado ao reajuste do salário mínimo  nacional;  pagamento do retroativo dos últimos 4 meses, sendo parcelado em 4 vezes; pagamento da periculosidade de 30%; condições dignas de trabalho, com viaturas, rádios de comunicação, capacitação através de curso de formação, dentre outras melhorias; confecção de uma carteira funcional para cada guarda municipal.

Para a sindicalista Carminha Soares, as reivindicações são básicas para que esses trabalhadores possam desenvolver de forma digna o seu trabalho junto à população.

O vice-presidente do SINFEMP e presidente da CTB/PB, José Gonçalves, destacou que os Guardas Municipais precisam de salários e condições dignas de trabalho e além disso o aumento do efetivo de trabalhadores, pois uma cidade com mais de cem mil habitantes, não tem sentido ter apenas 9 guardas municipais, para o tamanho do patrimônio púbico e caso eles passem a trabalhar  no Aeroporto a demanda será bem maior.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta