Proposta de 10% da Prefeita Francisca Mota é aceita pelos demais servidores municipais de Patos.

DSC07410   Em assembleia geral realizada na tarde de sexta-feira, dia 7 de março de 2014 no Auditório da Associação Comercial de Patos, as auxiliares de serviços, vigias, garis, motoristas, técnicos administrativos, técnicos em arquivo, telefonistas jardineiros, dentre outras categorias, aceitaram a proposta de 10% de revisão salarial proposta pela Prefeita Francisca Mota.

DSC07412O Secretário de Controle Interno, Joanilson Guedes, representou a Prefeita Francisca Mota, onde fez uma exposição da real situação que se encontra o Município e a responsabilidade de conceder melhorias salariais, mas levando em consideração o pagamento em dia dos salários de todos os servidores municipais, incluindo os aposentados e pensionistas.

DSC07420Esteve presente também a Coordenadora de Comunicação, Nayane Rodrigues , acompanhando toda a discussão e ouvindo a opinião dos servidores presentes e da direção da entidade.

Os técnicos administrativos, técnicos de arquivo, telefonistas, passarão a ter em seus contracheques a partir do mês de março o valor de R$ 215,00 (duzentos e quinze reais), além do pagamento do salário mínimo, representando 50% do que recebem os mesmos servidores lotados na Secretaria de Saúde. As auxiliares de serviços, vigias, garis e jardineiros, terão mais R$ 75,00 (setenta e cinco reais) em seus salários, que representa 50% das auxiliares de serviços da saúde. Já os motoristas terão uma gratificação de R$ 300,00 (trezentos reais), que será pago no mês de março do corrente.

DSC07427A presidente do SINFEMP, Carminha Soares, enfatizou que a negociação com a Prefeita Francisca Mota, é que este ano seja garantido 50% de revisão salarial e que em 2015 e 2016, todos os servidores de Patos tenham garantida a sua isonomia salarial, inclusive na cabeça do contracheque, melhorando assim o pagamento de 1/3 de férias, 13° salário, quinquênio, adicional noturno e nas futuras aposentadorias. “Pela primeira vez os servidores de apoio da Prefeitura Municipal de Patos, com exceção da saúde, passam a ganhar acima do salário mínimo nacional”, declarou a mesma.

Para o vice-presidente do SINFEMP, José Gonçalves, os servidores de Patos tiveram dois momentos importantes, sendo o primeiro em 1999 e 2001, quando passaram a ganhar um salário mínimo,  através de ações na justiça impetradas pelo  sindicato, pois os gestores anteriores não pagavam sequer o mínimo nacional e o segundo é a conquista de uma revisão salarial, onde passam a ganhar acima do salário mínimo, fora o pagamento de adicional noturno e insalubridade. “Tenho consciência de que os valores ainda são pequenos, mas foi o possível de ser concedido este ano e espero que até 2016 tenhamos garantida a isonomia salarial para todas as categorias”, frisou o mesmo.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta