Secretária da Mulher de Patos proíbe sindicalista de falar nas atividades do dia 8 de março

 

 

 

 

 

 

 

 

A Secretária da Mulher de Patos, Joana Darc, proibiu a sindicalista Carminha Soares, presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região e da FETRAM- Federação dos Trabalahdores de falar nas atividades comemorativas ao dia da mulher, com argumento falso de que era secretária e não poderia abrir espaço para que a dirigente sindical emitisse a sua opinião sobre o dia alusivo as mulheres.

O argumento utilizado pela Secretária da Mulher foi não permitir que falasse na caminhada na luta dos professores municipais por aumento salarial, demonstrando o preconceito contra as trabalhadoras municipais que lutam há bastante tempo, por melhores condições de trabalho, de salários, redução da jornada de trabalho e especialmente contra discriminação, a exemplo da que foi praticada pela atual secretária da mulher em Patos.

Somente depois da intervenção da presidente da Associação da Mulher Patoense, Francisca Vasconcelos, que também é membro do conselho foi facultada a palavra a Carminha Soares, que por incrível que pareça é conselheira do Conselho dos Direitos da Mulher, representando antes a UBM- União Brasileira de Mulheres e atualmente o SINFEMP, conseguiu falar e denunciar esse ato preconceituoso e antidemocrático.

Carminha denunciou a manobra feita pela secretária, demonstrando que ela tem lado e não é o lado das mulheres que lutam pelos seus direitos e sim o lado dos que estão no poder, muitas vezes massacrando as mulheres, nos mais diversos aspectos. “ Me envergonha ter uma secretária da mulher, que tem um único lado e esse lado é o do poder e não em defesa das nossas bandeiras de lutas”, frisou Carminha se referindo a atual secretária da mulher.

A prefeita Francisca Motta na sua falação, achou natural a participação das professoras, que no ato estavam usando roupas pretas, na luta por aumento salarial para a categoria e que respeitava o direito de lutarem por suas reivindicações e estava analisando a possibilidade de conceder o aumento esperado pela categoria.

Várias entidades participaram do ato a exemplo do SINFEMP, UBM, CTB, UAC, Associações Comunitárias, FETRAM, Associação de Apoio a Mulher Patoense, secretarias municipais, dentre outros, demonstrando a forma ampla da atividade no município.

Na próxima semana, várias entidades articuladas pelo SINFEMP, irão realizar uma reunião para analisar a atividade do dia 8 de março e ao mesmo tempo, tirar uma nota pública de repúdio a atitude da secretária da mulher de Patos.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta