Professores de Condado podem entrar em greve depois do Carnaval

CondadoOs profissionais do magistério Público Municipal de Condado poderão entrar em greve por tempo indeterminado em virtude do Prefeito Municipal, Caio Paixão se negar a conceder o reajuste salarial de 13,01% do governo federal desde o dia 1º de janeiro de 2015.

Os Diretores do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Gilson Remígio e Hozana Alves, além do assessor jurídico da entidade Dr. Damião Guimaraes e uma comissão formada por professores, não avançaram nas negociações.

Para o professor Gilson Remígio, Diretor Jurídico do SINFEMP, esse percentual não condiz com o reajuste do governo federal e que a categoria não irá aceitar de maneira nenhuma, tendo sido marcada uma assembleia para a próxima quarta-feira, dia 18 de fevereiro de 2015, onde poderão decidir por greve no Município.

Além disso, Gilson denunciou que o Prefeito continua inchando a folha de pessoal, contratando sem concurso público e na escola do Sítio Mororó, com apenas 18 alunos foram contratados  dois professores, sem concurso público, não justificando o discurso falso que não tem dinheiro.

A Professora Hozana Alves, Diretora de Gênero do SINFEMP, sugeriu que os professores paralisassem as atividades e a entidade imediatamente entrasse com ação na justiça para garantir os 13,01% e lembrou que desde o mês de janeiro que a presidente do SINFEMP, Carminha Soares já tinha enviado a proposta de aumento no percentual de 20% retroativo a 1º de janeiro de 2015.

A Presidente do SINFEMP, Carminha Soares, não compareceu por está internada no Hospital Regional de Patos, mas demais membros da Diretoria também acompanharam a reunião.

O SINFEMP, juntamente com uma comissão, está mobilizando todos os profissionais do magistério e ao mesmo tempo, irão divulgar o que está acontecendo em Condado nas emissoras de rádios na região. Está sendo confeccionado um panfleto que será distribuído com os pais de alunos, dizendo quanto o município recebe mensalmente e em que está sendo aplicado, além disso, buscará apoio dos vereadores e vereadoras para a luta sindical e parlamentares estaduais e federais, pois será denunciado em Brasília o descaso do gestor para com a educação municipal. Atos públicos em frente a sede da Prefeitura, interditando a BR 230 que corta a cidade também serão realizados.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta