Greve dos servidores de Patos continua firme

greveEm mais uma assembleia realizada na manhã desta quarta-feira, dia 6 de abril, os servidores públicos municipais de Patos reafirmaram a sua disposição de continuar a greve por tempo indeterminado no Município, em virtude da Prefeita Francisca Mota se negar a receber o Comando de Greve , além de não atender as reivindicações apresentadas pela entidade sindical.

O SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, já encaminhou para a Prefeita e Secretário de Saúde, o cronograma de unidades de saúde que estão funcionando, conforme prevê a lei de greve, além do SAMU, PA Maria Marques, laboratório Municipal e Frei Damião que estão funcionando normalmente, pois são regimes de plantão.

A luta dos servidores e da entidade sindical é por condições dignas de trabalho, revisão salarial, isonomia salarial e jornada de 30 horas semanais e a Prefeita se negar a atender essas reivindicações, dentre outras apresentadas pela entidade.

Os demais servidores que estão em greve a exemplo dos coveiros, que são 6, também foi definido uma escala de serviços, mantendo o trabalho em todos os cemitérios, não justificando a denúncia do secretário de serviços públicos, de que não tinham profissionais nos cemitérios.

O SINFEMP está consciente da luta que está desenvolvendo no momento, pois cumpre mais do que determina a lei, na abertura de mais de 30% das Unidades Básicas de Saúde, pois de acordo com a lei não atendem urgência e nem emergência, mas em consideração aos usuários do SUS decidiu manter mais de 30% funcionando todos os dias.

O SINFEMP irá acionar o Ministério Público Federal do Trabalho contra a prática de assédio moral por alguns secretários do Município, que estão incentivando a desfiliação de servidores da entidade, além de ameaçar retaliações aos que estão em greve no município, infringindo o que determina a lei.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, dos 21 municípios que compreende a base territorial da entidade, no início da atuação da entidade, 12 prefeitos deixaram de fazer o desconto das mensalidades sindicais, mas todos foram acionados na Justiça do Trabalho e tiveram que retornar ao desconto, além de ser aplicadas multas de até hum mil reais por servidor, caso continuasse agindo dessa maneira. “ Interessante que secretários que se diziam defensores dos servidores agora se colocam numa posição de ataque sistemático a luta dos trabalhadores municipais”. Destacou a mesma.

O Presidente da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, José Gonçalves, classificou como desespero dos que estão no poder em atacar uma entidade sindical, igual ao SINFEMP reconhecida e testada na luta desde 1991 em defesa dos servidores de Patos. “Isso demonstra que o SINFEMP está no caminho certo, pois quando prefeitos e secretários começarem a elogiar a entidade, possa ser que esteja acontecendo algo errado”.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe um comentário