Professores em Greve realizam manifestação em Patos

Os profissionais do magistério Público Municipal de Patos, antecederam a Greve Nacional da categoria e decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado até a Prefeitura de Patos apresentar uma proposta concreta de aumento salarial.

A Presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Carminha Soares, enfatizou que a entidade apresentou uma pauta de reivindicações a Prefeita Francisca Mota e até o momento não recebeu nenhuma contraproposta.

Na manhã de segunda-feira, dia 22 de abril de 2013, dezenas de professores se concentraram em frente à sede do SINFEMP e em seguida saíram em caminhada pelas principais ruas da cidade, com realização de um ato público em frente a sede da Secretaria de Educação, onde foram recebidos pela Secretária de Educação Adalmira Marques  e em seguida em frente a Prefeitura Municipal de Patos.

A entidade luta por aumento salarial de 15% retroativo a 1° de janeiro de 2013 e 10% do PIB para a educação, além da aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Salários da categoria.

Durante a manifestação a Prefeita Francisca Mota, ligou para a Presidente do SINFEMP, Carminha Soares e marcou audiência com a direção da entidade para quinta-feira, dia 25 de abril, às 09:00 horas da manhã na sede da Prefeitura.

No mesmo dia, as 15:00 horas será realizada uma assembléia geral da categoria no Auditório da Associação Comercial de Patos, para discutirem se aceitam ou não a proposta que deverá ser apresentada ou se continuarão com a greve geral.

O SINFEMP congrega mais de dois mil sindicalizados no município, sendo mais da metade de trabalhadores e trabalhadoras da educação.

A Presidente da entidade lamentou a ofensiva que está sendo feita pela secretaria de educação, determinando que todas as escolas e creches têm por obrigação de ficarem abertos, além da pressão sobre os professores e demais servidores da educação para que funcionem normalmente, mas praticamente 100% da categoria decidiu não pisar em sala de aula até uma resposta concreta por parte da gestora municipal.

A sindicalista reafirmou que enquanto os professores e demais servidores tiverem a coragem de lutar, estará disposta e espera que isso aconteça, pois muitos reclamam da entidade mas não participam efetivamente das lutas travadas no dia-a-dia e são os primeiros a quererem uma resposta imediata.

Militantes da FETRAM- Federação dos Trabalhadores Públicos Municipais da Paraíba e da CTB- Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil estiveram presentes dando total apoio ao primeiro dia de greve da categoria.

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta