SINFEMP afirma que Prefeitura de Patos não fala a verdade

A Presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Carminha Soares, afirmou que a Prefeitura de Patos e secretária, além da contadora, não vem falando a verdade sobre o aumento do FUNDEB para 2013.

A Prefeitura vem reafirmando que não tem como conceder o aumento salarial e ainda diz que já paga o piso dos professores, que deve ser proporcional e no entanto, não é isso que acontece, pois os valores só se aproximam do piso nacional devido às gratificações de docência e o quinquênio que são pagos aos professores.

A sindicalista afirmou que é uma grande contradição a Prefeitura ter concedido 156% de aumento salarial nos últimos oito anos  e não ter apresentado essa grande crise e isso vir a acontecer no primeiro ano de administração de Francisca Motta, quando os recursos aumentaram em praticamente 600 mil reais, apenas do FUNDEB nos meses e janeiro e fevereiro de 2013, se comparados com os meses de janeiro e fevereiro de 2012.

Para que todos tenham uma ideia, a Prefeitura recebeu de FUNDEB no mês de janeiro de 2013, o valor de R$  1.909.856,28 e no total, incluindo o FPM, R$ 5.194.004,86 e em fevereiro, R$ 2.382.019,50 e incluindo o FPM, R$ 6.089.672,47. Como explicar, esclarecer para os professores que não tem dinheiro para aumento salarial? Os prefeitos de Campina Grande (PSDB), Romero Rodrigues, de João Pessoa (PT), Luciano Cartaxo e até o governador Ricardo Coutinho (PSB), tão contestado pelo PMDB, concederam aumentos no percentual de 10% retroativo a 1º de janeiro de 2013 e em Patos, mesmo com 7,97% repassado desde janeiro pelo governo federal, a Prefeita Francisca Motta não quer conceder um centavo de aumento? Indagou Carminha.

Essa estória de cuidar bem das pessoas, dos servidores falando diversas vezes, inclusive no debate que aconteceu na Associação Comercial promovido pelo SINFEMP não está sendo correspondida na prática pela prefeita Francisca Motta.

Além disso, a presidente lamentou a ausência da Prefeita, terceirizando a discussão, colocando secretários, advogados, com o único objetivo de empurrar com a barriga o aumento dos professores que devia ter acontecido desde o mês de janeiro de 2013 .

sinfemp.com.br

 

 

Comente com o facebook

Comentários

Deixe um comentário