SINFEMP defende convocação de auxiliares de serviços e merendeiras em Patos

O presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, José Gonçalves, defende a convocação imediata das auxiliares de serviços, merendeiras, técnicos administrativos e vigias aprovados nos dois últimos concursos públicos realizados em Patos, em virtude do acúmulo de serviços nas escolas e creches municipais.

O sindicalista iniciou a visita a escolas e creches municipais e constatou que o número de auxiliares de serviços e merendeiras está reduzido, não tendo condições de dar conta de todo o trabalho nas referidas escolas.

Gonçalves visitou a Escola Firmino Ayres e Otto (CIEP III) no Bairro do Jatobá, que tem 666 alunos, com apenas duas auxiliares de serviços pela manhã, com 256 alunos no referido turno, fora os alunos do Mais Educação, onde as mesmas tem que lavar 4 banheiros, 9 salas de aulas e mais 6 salas extras, além do pátio e arredores, como também fazer a merenda escolar para todos os alunos.

Além desses problemas ainda existe deficiência na falta de vigias, pois das 12:00 às 18:00 a Escola fica sem vigia. Existem problemas também com servidores concursados recentemente que já foram cedidos para trabalhar em outro Estado, apesar de estar no estágio probatório, além de professores, cedido a outras prefeituras. Falta de carteiras para os alunos e um maior cuidado com a Escola, pois até as árvores não estão sendo podadas.

A Escola conta com um diretor, que não está todos os dias, por exercer cargos no Estado e dois diretores adjuntos.

Na Escola Monsenhor Manoel Vieira, que tem em torno de 700 alunos,  foi constatada a mesma situação, do número reduzido de auxiliares e merendeiras. Pela manhã e tarde não existem merendeiras e as auxiliares de serviços tem que fazer as duas coisas, ou seja,  fazer a limpeza e cozinhar.

Gonçalves constatou que na referida escola tem auxiliar de serviço em desvio de função, assumindo cargos de Técnico Administrativo e tem professores a disposição de sindicato que sequer é reconhecido pelo Ministério do Trabalho e Emprego, onde será comunicado o fato a Procuradoria Regional do Trabalho em Patos.

Outra gravidade é que a escola não dispõe de vigias das 12:00 às 22:00 horas, dificultando o trabalho da própria direção da escola.

O sindicalista recebeu denúncias de assédio moral para com os servidores que estão em estágio probatório, pois quando reclamam do trabalho estressante, a direção alega: “lembre que vocês estão no estágio probatório”.

A eleição direta para diretores de escolas e creches é a defesa do SINFEMP, democratizando assim a gestão escolar.

Todos esses problemas serão repassados a Secretaria de Educação, no sentido de reverter à situação.

Comente com o facebook

Comentários

Deixe um comentário