SINFEMP se mobiliza em defesa dos servidores municipais e para greve dia 15 de março

Curta!

Em reunião da Diretoria do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, no dia 11 de março em sua sede em Patos, foi realizada uma avaliação da conjuntura política atual e as reformas da previdência, trabalhista e sindical, propostas pelo governo golpista de Michel Temer.

O SINFEMP definiu que estará mobilizando na Greve Nacional da Educação na próxima quarta-feira, dia 15, onde será realizada uma assembleia geral na Associação Comercial de Patos e em seguida uma caminhada até a Prefeitura com realização de ato público. Nos demais municipais as sedes do SINFEMP serão abertas e os servidores irão também realizar suas atividades  e outros se deslocarão a Patos para participar da mobilização.

Os dirigentes sindicais fizeram relatos de vários municípios da  perseguição política, a exemplo de Passagem, São José de Espinharas, Areia de Baraúnas, Olho D’água e São Mamede. Em Passagem, servidoras que são auxiliares administrativas, estão sendo transferidas para serem auxiliares de serviços em dois locais.  Uma servidora que se submeteu a um tratamento de câncer, tirando uma mama e trabalhava na Escola em Café do Vento, foi transferida para Passagem para trabalhar em dois locais, a 3 km de distancia no conselho tutelar e CRAS caracterizando pura perseguição política. Em São Mamede servidores sofreram faltas no dia da paralisação. Em Olho D’água transferências da cidade para o Distrito de Socorro distante 23 km da sede do município, de garis e professores.

Em Areia de Baraúnas servidores que foram aprovados e tomaram posse ultimamente estão sendo perseguidos, pois a secretaria de saúde colocou para os motoristas que trabalhassem das 05:00 às 12:00 horas de segunda a sexta e no sábado, das 07:00 às 12 horas, sem garantir alimentação e superando a jornada de trabalho. Apenas os servidores da educação tem contas no Banco, os demais a Prefeitura insiste em não abrir.

Denúncias que os prefeitos não implantaram a insalubridade, querem aumentar a jornada de trabalho dos servidores de apoio, a exemplo dos servidores de Condado e os equipamentos de proteção individual que não são entregues aos trabalhadores, está aumentando consideravelmente nos municípios.

O  SINFEMP estará visitando os municípios, os locais de trabalho, procurando as câmaras municipais, acionando as prefeituras na justiça para implantar a insalubridade  e demais direitos assegurados aos servidores.

No tocante a Patos, a principal denúncia foi o não aumento dos aposentados e pensionistas pelo  Patos Prev, muitos erros nos contracheques,  professores readaptados que ficaram sem o reajuste do piso, retroativo dos professores, perseguição aos vigias, falta de condições de trabalho, transferências indevidas de servidores ativos sendo substituídos por contratados.  Dia 5 de abril será realizada a segunda paralisação de todos os servidores na luta pela revisão salarial de 20% para todas as categorias.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, a entidade vai mobilizar os servidores em todos os municípios, vai também acionar o Ministério Público Federal do Trabalho em virtude  da não implantação da insalubridade e denunciar as perseguições políticas existentes.

Comente com o facebook

Comentários