Prefeituras não pagam 13º salário mesmo recebendo recursos do governo federal

As prefeituras de São Mamede, São José do Sabugi, Santa Luzia, Catingueira e Olho D’água, não efetuaram o pagamento do 13º salário a todas as categorias de servidores municipais, desrespeitando a lei que determina o pagamento até o dia 20 de dezembro, como também prejuízos aos servidores municipais que não terão condições de pagar as suas contas e comprar algo para terem um natal feliz.

Outras prefeituras pagam o 13º e deixam de pagar o mês de novembro, como foi o caso da Prefeitura de São José de Espinharas. O prefeito pagou aos comissionados o mês de novembro e não pagou aos servidores efetivos, demonstrando mais uma vez o desrespeito para os que verdadeiramente trabalham no Município.

Além dessa situação, muitos gestores não irão pagar o mês de dezembro até o dia 30, alegando como sempre a falta de recursos, mas pelos dados apresentados abaixo, demonstra o valor dos repasses efetuados pelo governo federal até o último dia 22, faltando ainda os repasses do dia 30.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, os gestores se aproveitam nesse período da justiça que está em recesso, como também a dificuldade de mobilizar a categoria, mas para isso, a entidade já deliberou em diversos municípios, a exemplo de Patos, Cacimba de Areia, Olho D’água, Catingueira e Santa Luzia, greve a partir do dia 2 de janeiro de 2016, caso os pagamentos não sejam efetuados.

Para o presidente da CTB- Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil na Paraíba e vice-presidente do SINFEMP, José Gonçalves, nada justifica o não pagamento, pois o governo federal aumentou substancialmente os recursos para os municípios e os prefeitos alegam a crise, mas continuam contratando e comissionando sem a realização de concurso público.

Além disso, tem outros prefeitos que ficam contratando bandas para animar as festividades de natal e ano novo e sequer pagam a insalubridade aos servidores municipais.

O SINFEMP continua atento, mobilizando os servidores, acionando a justiça e acima de tudo denunciando os gestores que não tem compromissos com os trabalhadores municipais.

Areia de Baraúnas, FUNDEB: 74.713,42, FPM: 1.036.391,10; Cacimba de Areia, FUNDEB: 105.563,48, FPM: 1.075.150,46; Catingueira, FUNDEB:156.593,92, FPM:1.133.189,11; Condado, FUNDEB:196.477,44, FPM: 1.182.319,18; Emas, FUNDEB:125.258,13, FPM:1.093.463,01; Junco Do Seridó, FUNDEB:152.580,00, FPM: 1.191.550,33; Malta, FUNDEB:187.418,41, FPM: 1.175.082,48; Mãe D’água, FUNDEB: 133.797,26, FPM: 1.102.765,73; Olho D’água, FUNDEB: 238.696,00, FPM:1.221.557,48; Passagem, FUNDEB: 99.972,98, FPM: 1.069.612,08; Patos, FUNDEB:1.829.852,18, FPM: 8.308.848,27; Quixaba, FUNDEB: 85.229,71, FPM: 1.070.448,65; Salgadinho, FUNDEB:158.724,44, FPM: 1.125.342,75; São José do Bonfim, FUNDEB: 126.919,90, FPM: 971.308,04; São José de Espinharas, FUNDEB:124.533,71, FPM: 1.099.201,71; São José do Sabugi, FUNDEB:149.426,83, FPM: 1.133.281,11; Santa Luzia, FUNDEB: 295.845,32, FPM: 1.981.431,85; Santa Terezinha, FUNDEB:166.019,38, FPM:1.152.028,25; São Mamede, FUNDEB: 318.232,95, FPM: 1.243.699,10; Vista Serrana, FUNDEB: 100.953,00, FPM: 1.075.353,15; Várzea, FUNDEB: 99.615,06, FPM: 1.082.807,79

sinfemp.com.br

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta