O arrumadinho de servidores públicos cedidos a outras instituições

Boa parte dos servidores públicos são aprovados em concursos, especialmente nas prefeituras e não cumprem o seu trabalho nos referidos municípios.

O que temos de servidores municipais cedidos a justiça, nas mais diversas comarcas, trabalhando  no Ministério Público  não é brincadeira.

O pior é que na maioria das vezes são os arrumadinhos praticados pelos gestores municipais e até estadual nessas “concessões”, onde envolvem professores, técnicos administrativos, auxiliares de serviços, que deveriam esta prestando os seus serviços a população, exercendo as suas verdadeiras funções e no entanto, trabalham para o Tribunais de Justiça, Justiça Federal, Justiça do Trabalho, Ministério do Trabalho, dentre outros.

Eu fico perguntando o motivo dos tribunais não realizarem concurso público, já que eles cobram tanto das prefeituras realizarem os certames. Eu fico perguntando por que apenas os apadrinhados políticos, conseguem essas cessões de transferências, tendo caso de servidor que foi aprovado em concurso público, está em estágio probatório, mas já conseguiu uma transferência para um tribunal em outro estado da federação.

Eu fico perguntando, o motivo de ter tantos policiais a serviço dessas instituições, apesar das mesmas terem seguranças privados, ao invés de estar nas ruas reforçando a nossa segurança. A mesma coisa acontece com servidores municipais a serviço de delegacias de polícia que devem ser mantidas pelo Estado, inclusive contratados. Que o Estado faça concurso público.

Eu fico perguntando o motivo de existir servidores públicos que tem vínculos empregatícios com o Estado e Município, sem serem professores e nem médicos, continuarem recebendo os salários com conhecimento dos gestores municipais e do governo do Estado e entre prefeituras.

Acho totalmente errado essa cessão de servidores, especialmente de prefeituras para trabalharem diretamente na justiça, pois são os mesmos que manuseiam os processos que demos entrada contra os gestores municipais, contra o Estado.

Não existe outra palavra a não ser o arrumadinho existente entre as autoridades constituídas.

Pelo fim do nepotismo! Pela realização de concurso público! Pela ética no trabalho!

José Gonçalves.

Comente com o facebook

Comentários

Deixe uma resposta